Pular para o conteúdo principal

Tribo Tupiniquim











Nasci para viver feito índio, nu em meio à selva, sem pilantragem. Não consigo infiltrar-me as formalidades vigentes, a burocracia impregnada, e a cordialidade cheirando hipocrisia. Queima-se a erva daninha e o cheiro podre de quem mal pode andar entre fraternos. Não nasci para viver nesta selva de pajés ambiciosos, sorrisos entre dentes e carniça do próximo. Tudo o que eu quero é sorrir verdadeiro, enxergar amigos, pessoas sinceras, sem recear pisar falso. Preciso andar nesta mata de abutres, cães e diabos, preciso de um filtro que me de passagem, uma luz que traga a visão, um coração de pedra para não sofrer com este bando de selvagens engravatados. A duras penas: penalidade máxima; viver entre  antropófagos, comendo uns aos outros. Entre cães e ratos, misturam todos, poucos escapam.


Postagens mais visitadas deste blog

Leitura performática do "Cordel Memórias de uma ex-estudante de Mariquinha das Alagoas"- Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID)

"História em Quadrinhos (HQ) – One plate"

Nos quadrinhos _One plate_, através dos dois personagens -Richard e Paula - fica nítido no contexto a desigualdade social. Observa-se a meritocracia, como aborda o autor do livro _Subcidadania Brasileira_, Jessé Souza, que afirma que é pura ignorância acreditar nessa ideia, que é também corroborada pela HQ em questão.  O homem como resultado do meio em que vive, na maioria das vezes, está inserido em uma sociedade em que há uma classe sem chance de sobrevivência digna. Como professores em formação, precisamos perceber as diferenças sociais e suas causas para conhecer o meio onde vivemos, entendê-lo e/ou transformá-lo, permitindo, através da educação aos estudantes e futuros cidadãos, a consciência crítica necessária para que as diferenças sociais sejam amenizadas.  Seria injusto afirmar que o fracasso significa que a luta não foi suficiente, pois as condições não são as mesmas para todos.  É importante acabar com a desigualdade social e com os preconceitos através de uma educação que

Jabuticabeira

"Jabuticabeira pequenina, quando desabuticabeirarizar-te-ás tu? Eu, pequenina jabuticabeira, desabuticabeirarizar-me-ei quando todas as pequeninas jabuticabeiras desabuticabeirarizar-se-ão!"