Pular para o conteúdo principal

"enfisematologia vitidiana"


Tento envelhecer a alma e  não consigo. Quanto mais o tempo marca o físico, mais sinto que rejuvenesço por dentro de mim, em atitudes que agora nem controlo tanto. Permito -me ousar, falo o que penso e  não procuro nem pesar ou medir o que irão pensar, oras bolas.
A antítese se instala e esbarra na ironia. Se amadurecer é ultrapassar valores, prefiro viajar na “irresponsabilidade” de adolescer eternamente.
 Quanto mais o tempo marca, mais descompassa  o contraste dos passos de pés descalços, do tempo que vai em vão, em raríssimas  horas. Andei com sinais de w ifi, refiz uma rede da qual nem pudera sentar, descansara no magnetismo de uma alma que não envelheceu, estabilizara a conexão a Ti.
 A antítese se instala e esbarra na ironia, o físico sem rejuvenescer. 
Se amadurecer é ultrapassar valores, de bolsa que cai não cai, prefiro viajar na inconsequência  de adolescer eternamente, a enxergar vítimas da intolerância corriqueira e mesquinha.
Tem uma tristeza instalada, precisaria partir e nunca mais sentir essa dor. Uma tristeza doída que invade a vida, arrasta a alegria, tira minhas risadas, acaba com meu sorriso,  tira  forças.
Isso tudo é muito ruim,  queria cavar esta dor, jogá-la bem longe para que ela não poluísse nada, não atingisse ninguém feito bomba  desativável sem causar males algum. 
É um vazio depressivo, um cheio inoportuno, uma depressão que vem se instalando, as vezes mascara, mas sempre reaparece.
Aumenta minha necessidade de voar, preciso de ar nesta “enfisematologia vitidiana”, procurei uma vida para esquecer uma dor.
Quero ar em todos os sentidos.


Postagens mais visitadas deste blog

Leitura performática do "Cordel Memórias de uma ex-estudante de Mariquinha das Alagoas"- Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID)

"História em Quadrinhos (HQ) – One plate"

Nos quadrinhos _One plate_, através dos dois personagens -Richard e Paula - fica nítido no contexto a desigualdade social. Observa-se a meritocracia, como aborda o autor do livro _Subcidadania Brasileira_, Jessé Souza, que afirma que é pura ignorância acreditar nessa ideia, que é também corroborada pela HQ em questão.  O homem como resultado do meio em que vive, na maioria das vezes, está inserido em uma sociedade em que há uma classe sem chance de sobrevivência digna. Como professores em formação, precisamos perceber as diferenças sociais e suas causas para conhecer o meio onde vivemos, entendê-lo e/ou transformá-lo, permitindo, através da educação aos estudantes e futuros cidadãos, a consciência crítica necessária para que as diferenças sociais sejam amenizadas.  Seria injusto afirmar que o fracasso significa que a luta não foi suficiente, pois as condições não são as mesmas para todos.  É importante acabar com a desigualdade social e com os preconceitos através de uma educação que

Jabuticabeira

"Jabuticabeira pequenina, quando desabuticabeirarizar-te-ás tu? Eu, pequenina jabuticabeira, desabuticabeirarizar-me-ei quando todas as pequeninas jabuticabeiras desabuticabeirarizar-se-ão!"