Pular para o conteúdo principal

Dona Celsa!

Arrasto uma saudade dolorida e forte.
-quase morta-
Tornando mais viva a sua presença.
-após a morte-
Carrego sua ausência no tempo vago.
-imperceptivelmente-
Trago viva todas as suas lembranças.
-constantemente-
Em gestos, frases, aprendizado herdado.
-inconscientemente-
Orgulho e lamentações misturam-se-
-inutilmente-
Preciso muito tudo isto ainda sentir.
incondicionalmente
Porque mais viva é a tua presença aqui.
insistentemente
Hoje apesar da matéria decomposta.
inevitavelmente
tudo que restou é tão forte em mim.
Que tem algo de paz, que traz algo de dor.
porém acalentador
Chamo-te sempre que preciso.
insegurança
de maneira igual ecoava aos meus ouvidos.
“ -Mãee? Ô mãeee!”
Preocupa-me, se também possas precisar.
reciprocamente-
Mistérios cercam esse abismo de ciência
-após morte-
Como ser desprendido de valor material.
Creio que deva ter muita luz por onde andas.
Ao mesmo tempo que indago a injusta vida térrea.
Mas que lá haja justiça divina.
Ainda creio no Deus que me ensinasse.
-respeitar-
Que falta nas pessoas perturbadas.
E repasso o mesmo amor que recebi.
para a sua continuidade.
Certeza só tenho da saudade apertada.
e a saudade mais viva que tenho te ti.
Ah! Se houve dúvidas sobre minha gestação
tenho certeza que a cada dia pareço mais contigo.
Mãe!

Postagens mais visitadas deste blog

Leitura performática do "Cordel Memórias de uma ex-estudante de Mariquinha das Alagoas"- Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID)

"História em Quadrinhos (HQ) – One plate"

Nos quadrinhos _One plate_, através dos dois personagens -Richard e Paula - fica nítido no contexto a desigualdade social. Observa-se a meritocracia, como aborda o autor do livro _Subcidadania Brasileira_, Jessé Souza, que afirma que é pura ignorância acreditar nessa ideia, que é também corroborada pela HQ em questão.  O homem como resultado do meio em que vive, na maioria das vezes, está inserido em uma sociedade em que há uma classe sem chance de sobrevivência digna. Como professores em formação, precisamos perceber as diferenças sociais e suas causas para conhecer o meio onde vivemos, entendê-lo e/ou transformá-lo, permitindo, através da educação aos estudantes e futuros cidadãos, a consciência crítica necessária para que as diferenças sociais sejam amenizadas.  Seria injusto afirmar que o fracasso significa que a luta não foi suficiente, pois as condições não são as mesmas para todos.  É importante acabar com a desigualdade social e com os preconceitos através de uma educação que

Jabuticabeira

"Jabuticabeira pequenina, quando desabuticabeirarizar-te-ás tu? Eu, pequenina jabuticabeira, desabuticabeirarizar-me-ei quando todas as pequeninas jabuticabeiras desabuticabeirarizar-se-ão!"